Em dia com a Notícia

Júnior Martins celebra conquista para grande Renascença

 

Depois de espera por quase nove meses, os vereadores tem motivo de festejar as ações do chefe do Executivo e desta vez a comemoração é do vereador Júnior Martins (PPS) que festejou a inauguração de uma farmácia para atender pacientes do SUS. Antes os moradores precisavam deslocar ao PSF de outras regiões para conseguirem os remédios. O vereador Júnior Martins disse que desde o início vinha reunindo tanto com o prefeito, como a secretária da saúde, Dulce Pimenta, no sentido de viabilizar a instalação da farmácia para atender o grande Renascença, bem como a reforma do PSF, tornado mais confortável para os moradores e pacientes. Hoje está muito melhor, a comunidade muito satisfeita e o vereador feliz  por ter sido atendido numa reivindicação tão importante. Segundo Junior ele teve atendido a sinalização de transito e a academia ao ar livre e diante disso ele disse que só tem que agradecer ao prefeito por ver o povo

 

Votos estranhos

Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, no julgamento do habeas-corpus em favor do ex-governador Garotinho, do Rio de Janeiro, preso por ordem do juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, por crime eleitoral: ”Se não conhece esta matéria, vai para casa. Não aplique o Direito Constitucional da malandragem”. Mendes, claro, votou a favor da soltura de Garotinho. Luiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal, ao votar pelo afastamento do senador Aécio Neves do Senado, em razão de acusações de corrupção. “Muito se elogia [Aécio] por ter saído da presidência do partido. Ele seria mais elogiado se tivesse se despedido ali do mandato. Se ele não teve esse gesto de grandeza, nós vamos auxiliá-lo a pedir uma licença para sair do Senado Federal, para que ele possa comprovar à sociedade a sua ausência de culpa nesse episódio que marcou demais a sua carreira política”.

 

É ilegal o Senado julgar afastamento de Aécio

 

O artigo 53 da Constituição prevê que somente serão submetidas ao Senado ou a Câmara decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) envolvendo a prisão de parlamentares. Esse não é o caso das medidas cautelares de afastamento do Senado e recolhimento domiciliar noturno determinadas ao senador Aécio Neves (PSDB-MG). Por isso, será ilegal ou inócuo eventual exame da decisão pelo plenário do Senado. Para Rodrigo Capez, juiz auxiliar do STF e autor de “Prisão e medidas cautelares diversas”, não cabe ao Senado avaliar medidas cautelares. O ministro Luiz Fux advertiu o Senado para a necessidade de fazer cumprir imediatamente a decisão do STF envolvendo Aécio Neves.

 

Recibos de Lula viram piada na internet e geram dúvida em relação à defesa do presidente

 

Os recebidos apresentados pela defesa do ex-presidente Lula referentes ao pagamento de aluguel do apartamento vizinho ao dele em São Bernardo do Campo, ao juiz Sérgio Moro, viraram motivo de piada na internet. Foram detectados os mesmos erros de grafia no nome da cidade e datas que não existem como 31 de novembro e 31 de junho. O imóvel, no valor de R$ 500 mil é considerado pela acusação, como sendo pagamento de propina à Lula. Os procuradores contestam os pagamentos de aluguel de 2011 a 2015 alegados pela defesa. O recibo não prova nada sem o comprovante bancário e, para os especialistas, os eles vão contaminar toda a defesa de Lula que teria cometido um erro grosseiro ao apresentá-los. Para alguns internautas, os recibos foram amadoristicamente falsificados e com eles Lula está fazendo um jogo perigoso.

 

Votação da PEC da redução da maioridade penal é adiada no Senado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado adiou, mais uma vez, a votação da PEC, que estabelece a redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos. Com o adiamento, que dividiu os senadores, o projeto só poderá voltar à pauta em 30 dias. Foram 10 votos a favor do requerimento e oito contrários. Autora do pedido de adiamento, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), alegou que a mudança exige uma discussão mais profunda. Segundo a petista, a medida vai afetar principalmente os jovens pobres das periferias. Defensor do projeto, o senador Magno Malta (PR-ES), disse que a demora em aprovar a proposta dificulta o combate à violência.

 

Lula veta proposta de acordo de leniência do PT

 

O ex-presidente Lula vetou pessoalmente a proposta do amigo João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do partido, de negociar acordo de leniência do PT com a Justiça, confessando seus crimes e pedindo desculpas aos brasileiros. Na opinião de Vaccari e de enrolados como o ex-ministro Antônio Palocci, um acordo de leniência poderia abrir caminho para o PT não ser extinto, como prevê a lei, e preservar os mandatos.  “Tá maluco?”, respondeu Lula ao então presidente do partido, Rui Falcão, portador da proposta de acordo de leniência feita por Vaccari. As ações em que é réu por corrupção e a carta de Palocci permitem entender por que Lula não quer ver o PT confessando seus crimes