Joaquim Levy pede demissão da presidência do BNDES após críticas de Bolsonaro

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, entregou seu pedido de desligamento do cargo ao ministro da Economia, Paulo Guedes, conforme informou em nota distribuída à imprensa na manhã deste domingo, 16. Bolsonaro demite terceiro militar em uma semana. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) criticou publicamente neste sábado (15) o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, e ameaçou demiti-lo nos próximos dias.  Segundo Bolsonaro, a nomeação do executivo Marcos Barbosa Pinto, que já trabalhou em gestões petistas, desagradou o Palácio do Planalto. Ele disse que Levy “está com a cabeça a prêmio há algum tempo” e cobrou que ele demita o executivo imediatamente. “Eu já estou por aqui com o Levy. Falei para ele demitir esse cara (Marcos Barbosa Pinto) na segunda-feira ou eu demito você, sem passar pelo Paulo Guedes”, afirmou o presidente ao chegar ao Palácio da Alvorada.  O executivo que se tornou principal motivo do desentendimento entre Bolsonaro e Levy foi assessor do banco no governo do PT e voltaria para o banco a convite de Levy para o cargo de diretor de Mercado de Capitais.  Bolsonaro disse que em seu governo não pode ter “gente suspeita” em cargos importantes. “Essa pessoa, o Levy, já vem há algum tempo não sendo aquilo que foi combinado e aquilo que ele sabe a meu respeito. Ele está com a cabeça a prêmio já há algum tempo”, ameaçou o presidente.  Os últimos dias foram marcados por quedas de cargos importantes no governo federal. Bolsonaro anunciou a demissão do presidente dos Correios, general Juarez Cunha, e demitiu o ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz.