Para Eduardo e Flávio Bolsonaro, tiros contra Cid Gomes foram “legítima defesa”

Ciro afirmou que no Ceará as milícias não irão controlar o estado como fazem no Rio de Janeiro. Pelo Twitter, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o senador Flávio Bolsonaro (Sem partido – RJ) classificaram como legítima defesa os tiros e pedradas que foram lançados contra o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE), 56 anos. Cid tentou invadir em uma retroescavadeira, um batalhão da Polícia Militar na cidade de Sobral, no interior do Ceará. Para Eduardo, o que Cid Gomes fez foi, no mínimo, tentativa de homicídio com dolo eventual. Vale pagará US$25 milhões a investidores nos EUA, por causa de tragédia em Mariana; Peugeot apresenta a Landtrek, nova picape média da marca na América Latina. Flávio desejou melhoras para o senador, mas ressaltou “o que não o isenta de ter provocado a reação, em legítima defesa”. Essas manifestações geraram a reação Ciro Gomes (PDT-CE), que partiu com ataques aos irmãos Bolsonaro. “Deputado #eduardoBolsonaro ,será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o Estado do Ceará como os canalhas de sua família fizeram com o Rio de Janeiro”.