Parlamentar sugere qualificação profissional para ex-usuario de drogas

Membro da Comissão de Saúde da Câmara dos vereadores, Dr. Valdivino Antunes (PMDB), sugeriu que o governo, municipal, estadual e federal, crie um segmento do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem) para qualificar e reinserir ex-usuários de drogas no mercado de trabalho.

Ele propôs que a iniciativa seja adotada em parceria com as 3.500 unidades terapêuticas e acolhedoras de dependentes químicos no País. A ideia foi apresentada à coordenadora de Empreendedorismo Juvenil do Ministério do Trabalho, Ana Lúcia de Alencastro. Dr. Valdivino que é médico lembrou que o modelo de parceria com entidades da sociedade civil já funciona no ProJovem Rural, que é desenvolvido com a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag).

Segundo o parlamentar pessoas ligadas ao ministério vai avaliar a sugestão, por meio de um estudo de viabilidade. Ele disse que o governo já promove parcerias no caso de programas de qualificação profissional em presídios, que têm o apoio de prefeituras.

O parlamentar lembrou que essa iniciativa é muito boa e que espera que saia do papel e que os ex-dependentes químicos de Montes Claros e da região sejam beneficiados. “O que assistimos é a omissão do poder publico com jovens que estão marcados para morrer pelo envolvimento com drogas ilícitas aí cito a mais perigosa de todas que é o crack. Os dependentes químicos tem que ser tratados como doentes, eles precisam de tratamento e não só cadeia. Quem deve ser preso são os grandes traficantes que na grande maioria são desconhecidos e nem molestados são”.

“É preciso fortalecer a as unidades de recuperação e também é preciso criar mecanismo para dar oportunidade de emprego depois der recuperado. A qualificação profissional é fundamental, pois eles correm um grande risco de voltar a prática do uso de drogas. Também é preciso que o governo federal. Estadual e municipal se unam e deem condições para as entidades que recuperam doentes químicos  que não tem nenhuma ajuda governamental. A ideia é boa, mas só com ideias não vamos resolver esse grave problema que é de todos e sem uma mobilização geral não vamos a lugar nenhum”, disse. (VS)