Procon divulga pesquisas de preço realizadas em bancos e padarias

O órgão em Montes Claros está atendo em
relação a prática de preços abusivas

O vereador Raimundo do INSS (PDT) disse que todos os Procons de Minas tem que trabalhar em sintonia para ajudar o consumidor a não pagar a mais por produtos que consomem no dia a dia. Segundo o parlamentar em alguns casos, os aumentos são considerados pequenos, mas no final de uma compra, pesa de forma significativa no orçamento doméstico. Ele lembrou que o Procon da Assembleia vem sempre na frente com pesquisas de preços que ajuda o consumidor. Ele lembrou que os preços de alguns produtos como o pãozinho francês é igual em todos os lugares, mas vem sofrendo pequenos aumentos que o consumidor em muitos casos demoram e observar. Ele disse ainda que o Procon da capital divulgou, pesquisas de preços realizados em padarias e em instituições bancárias.

A pesquisa dos produtos vendidos e, das tarifas bancária. Na primeira pesquisa, foram visitadas 30 padarias em todas as regiões de Belo Horizonte e a maioria dos produtos apresentou alta nos preços. Entre os produtos analisados, o quilo do queijo muçarela teve aumento de 8,6%; o quilo do pão francês teve um aumento de 1,73%; o leite longa vida integral alta de 2,77% e o quilo do queijo prato aumento de 2,80%. Entre os produtos que apresentaram queda de preço, destaque para o quilo do pão sovado, que teve variação de -6,51%.  comparativo é desde a última pesquisa realizada em setembro. Já a pesquisa de tarifas bancárias visitou 12 instituições e analisou os preços de 30 serviços prioritários para a pessoa física, que são aqueles relacionados à conta corrente, poupança, transferência de recursos, operações de crédito e cadastro. Dentre as tarifas pesquisadas, foi constatada variação de até 300% nas tarifas.