Projeto visa inclusão de psicólogos e assistentes sociais na Educação Municipal

O vereador Daniel Dias apresentou na Reunião Ordinária da Câmara Municipal de Montes Claros, realizada na terça-feira, 16 de abril, o Projeto de Lei que Autoriza o Executivo Municipal a inserir os profissionais de psicologia e assistência social na educação pública do município. “Este projeto está de acordo com o que prevê tanto o Conselho Regional de Psicologia, quanto os conselhos federais de psicologia e de assistência social e corrige distorções, trazendo acertadamente, todas as atribuições que podem ser desenvolvidas por esses importantes profissionais”, disse Daniel.

Tendo em conta que a Educação no município passa por grandes problemas e que já existem leis aprovadas pelo Estado que autorizam a inserção desses profissionais nas escolas, Daniel adiantou que será proporcionado um grande salto de qualidade para a Educação Pública Municipal. Ele destacou o trabalho que poderá ser desenvolvido diante das questões mais discutidas atualmente como o bullying, a sociedade e seus direitos, dentre outros. “A presença desses profissionais na escola ajudará a promover uma educação de qualidade, maior inserção social e garantia de direitos”, disse.  Daniel Dias discutiu amplamente o seu projeto com psicólogos, assistentes sociais, conselhos de psicologia e assistência social com o prefeito Humberto Souto.

O vereador realizou, através da Câmara Municipal, uma audiência pública com a presença de mais de 300 pessoas, entre profissionais, estudantes, professores pais, autoridades e interessados da sociedade em geral. Segundo Leonardo Prates, diretor do Conselho Regional de Serviço Social – CRESS, é grande a importância dessa iniciativa do vereador Daniel Dias juntamente com o Conselho Regional de Psicologia e o Conselho Regional de Serviço Social, que participaram da construção de um projeto vital para o desenvolvimento social das comunidades mais vulneráveis e carentes do Município de Montes Claros. “Ele contribui para diminuição da violência e do bullying, nas escolas que hoje funcionam como amigas da sociedade”, disse.