SERRA DO MEL | Arlen Santiago recebe denúncia de que Cemig pode ter sido a causadora de grande incêndio em Moc

 

Um incêndio de grandes proporções atingiu a Serra do Mel, em Montes Claros, na última semana, sendo controlado na tarde de terça-feira (22), após 8 dias de chamas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o fogo teve início no dia 14 de setembro e, por dia, 30 militares atuaram no combate, além do apoio de duas aeronaves; um Air Tractor, viabilizado pelo Instituto Estadual de Florestas - IEF, e o helicóptero Pegasus 08, da Polícia Militar. O Exército também cedeu dois veículos, um caminhão-pipa e outro para transporte de pessoal.

O incêndio, que dizimou 107 hectares da vegetação da serra, tem suas causas desconhecidas, porém, segundo ambientalistas do município, a falta de manutenção nas linhas de transmissão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) podem ter causado as chamas.

Fotos enviadas para o deputado Arlen Santiago mostram a vegetação muito próxima às linhas de alta voltagem, que cortam uma grande extensão da serra, em alguns casos até em contato direto. Ainda, segundo os ambientalistas autores da denúncia, a vegetação faz com que um fio encoste em outro, ocasionando um curto, gerando faíscas que, em contato com a vegetação seca, transforma-se em um incêndio de grandes proporções.

O deputado Arlen Santiago informa que já encaminhou ofícios para a promotoria do Meio Ambiente de Minas Gerais e para o promotor de meio ambiente de Montes Claros, Paulo Cesar Vicente de Lima, solicitando a investigação das denúncias, e para a direção da Cemig, pedindo esclarecimento das causas do incêndio, além de medidas imediatas para a manutenção das redes e instalação de materiais de combate a incêndios na Serra do Mel. “É uma denúncia gravíssima que temos que apurar, não podemos deixar que falhas em manutenção cause estrago em nossas reservas florestais, é inadmissível. Nos ofícios que enviei aos órgãos ambientais de Minas e de Montes Claros, peço ações mitigadoras urgentes, além de melhorias anti-incêndios como: caminhões-pipa, construção de um tanque de 100 mil litros para estocar água, além de redes, e a instalação de hidrantes por toda a extensão da serra. Da Cemig, eu espero o esclarecimento da denúncia, além da manutenção imediata de áreas vulneráveis, que repassamos por fotos, junto ao ofício”, afirmou o parlamentar.