TCE arquiva denuncia contra verba de gabinete em 2006

O Tribunal de Contas de Minas Gerais arquivou o processo que investigava irregularidades na aplicação da verba de gabinete pela Câmara Municipal de Montes Claros no ano de 2006. Em sessão realizada no inicio do ano, os conselheiros acataram parecer do relator Durval Ângelo, que pediu o arquivamento do processo sem julgamento do mérito, pois o caso estava prescrito. Naquele ano, o Ministério Público apurou denúncia de irregularidades na aplicação da verba de gabinete. Naquele mesmo ano, vários vereadores foram presos pela Policia Federal, acusados de comprarem recibos falsos de postagens. O caso até hoje não teve a decisão judicial.

A Câmara Municipal realiza sua reunião ordinária quando apreciarão cinco projetos. O primeiro é do vereador Wilton Dias e denomina Escola Municipal Professora Eva Cunegundes no Bairro Residencial Vitória; a outra do vereador Júnior Martins que denomina Rua Sebastião José da Mota no Bairro Tancredo Neves; a terceira da vereadora Maria Helena que denomina CEMEI Professora Dilma Porto de Souza no Bairro Santo Amaro. O quarto projeto é do vereador Ildeu Maia e denomina Rua Luiz Lopes Santos no Bairro Vila Áurea e por fim, o vereador Sóter Magno que denomina Praça Neuza Monteiro Machado em Frente ao Parque Municipal. (GA)