Última | Coerência da ex-presidente Dilma

Ao aceitar ser candidata ao Senado por Minas, mesmo tendo feito carreira no Rio Grande do Sul, Dilma foi coerente ao não aceitar que o PT coligasse com o MDB. A maioria dos deputados emedebistas – ou todos – votaram no pelo impeachment dela.

Evidente que o governador Fernando Pimentel não deve ter gostado muito, já que a coligação estava certa.

Dilma também era cotada para disputar o governo do estado, em substituição ao atual mandatário, Fernando Pimentel (PT), pré-candidato à reeleição.

No entanto, a ex-presidente confirmou mesmo a sua candidatura ao Senado e está em visita ao interior mineiro, onde tem apoiado os seus companheiros de partido.