Última | O incômodo causado por Moro

O ministro Marco Aurélio de Mello (foto), o segundo na lista das aposentadorias no Supremo Tribunal Federal, decidiu se manifestar em relação a possível indicação do ex-juiz Sergio Moro para a próxima vaga na Suprema Corte. O presidente Jair Bolsonaro disse que prometeu a Moro a sua indicação ao cargo para ele deixar a Justiça Federal e assumir o Ministério da Justiça. Para Marco Aurélio, que foi indicado pelo ex-presidente Fernando Collor de Mello, “isso soa muito mal para o ministro da Justiça, como se ele tivesse feito uma troca. Agora só vai haver vaga em novembro de 2020, a não ser que tenha acidente de percurso ou antecipação de aposentadoria”. O primeiro a sair na lista do STF é o decano Celso de Mello, que será aposentado compulsoriamente no ano que vem, o que quer dizer que o ministro Marco Aurélio poderá conviver, mesmo que por um breve período, com Sergio Moro. Enquanto o presidente Bolsonaro disse domingo em entrevista ao jornalista Milton Neves, da rádio Band, que assumiu compromisso com Sergio Moro de fazê-lo ministro do Supremo Tribunal Federal na primeira vaga. O ministro da Justiça, Moro disse ontem em palestra no Congresso Nacional de Macrocriminalidade e Combate à Corrupção, que “não vou receber um convite para ser ministro estabelecendo condição sobre circunstâncias do futuro que não se pode controlar.” Diga-se de passagem, uma resposta bem inteligência.