Zé Reis comemora atendimento para enfermeiros

o deputado Zé Reis

O deputado estadual Zé Reis comemora a vitória alcançada pelos enfermeiros de Minas Gerais, que em reunião realizada pela presidente do Conselho Regional de Enfermagem, Carla Prado Silva com o governador de Minas, Romeu Zema, ele garantiu que, a partir de agosto, todos os profissionais de saúde do estado que tenham sintomas de Covid-19 e ainda os profissionais que tiveram contato com estes serão testados gratuitamente. Isso vale tanto para quem trabalha na inciativa pública quanto privada. O deputado reivindicou essa medida, a pedido do COREN-MG, assim como entrou com projeto que foi aprovado pela Assembleia Legislativa.

Atualmente, o Estado realiza a testagem dos profissionais de saúde que atuam em instituições que fazem parte a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig). Segundo o governo, os testes são realizados em um ambulatório, em parceria com a Fundação Ezequiel Dias (Funed), em profissionais que são sintomáticos, aqueles que tiveram contato com quem testou positivo e quem trabalha em locais onde houve a ocorrência de surto da doença. Antes de fazer o teste, o profissional vai passar por uma teleconsulta a fim de fazer uma primeira avaliação.

No mês de abril o Conselho Regional de Enfermagem em Minas Gerais (Coren-MG) solicitou a interferência do deputado Zé Reis para que sejam assegurados aos profissionais desse setor os equipamentos de segurança e proteção contra a pandemia coronavírus. A presidente do Coren-MG, Carla Prado Silva e sua assessoria participou de videoconferência com o deputado norte-mineiro e sua assessoria, quando apresentou os desafios que os profissionais da área de enfermagem enfrentam no dia a dia de trabalho e principalmente durante a pandemia do Covid-19.

Na época, a presidente Carla Prado explanou sobre a situação da categoria em que no Estado de Minas Gerais são cerca de 200 mil profissionais de enfermagem inscritos, mas apesar do grande contingente numérico e da influência decisiva de trabalho na qualidade das ações de saúde, a enfermagem não dispõe, até hoje, de nenhuma proteção legal do seu trabalho. É uma das únicas profissões ligadas à saúde que ainda não tem um piso salarial ou regulamentação de carga horária de 30 horas semanais, e que há mais de 20 anos tem tramitado pelas gavetas do legislativo.

Ela mostrou que a essencialidade da profissão salta aos olhos nesse momento que a Organização Mundial de Saúde – OMS declarou, em 11 de março de 2020, que a contaminação com o coronavírus, causador da Covid-19, se caracteriza como pandemia. Não só o governo federal reconheceu emergência em saúde pública, como o Estado de Minas Gerais e diversos municípios mineiros. O  Coren-MG adotou diversas ações emergenciais, dentre as quais fiscalização direcionada ao enfrentamento do novo coronavírus, suspendendo todos os demais prazos e procedimentos.

 

 

Reclamação de profissionais de enfermagem

 

Relatou ainda que tem recebido centenas de denúncias de profissionais de enfermagem de todo o Estado, citando que não estão sendo disponibilizados equipamentos de proteção individual (EPI) nas instituições de saúde, no quantitativo e qualidade suficientes, bem como, foi apurado in loco, em fiscalização, falta de profissionais em número adequado para lidar com a grave crise. Relatou ainda que o Coren-MG comprou R$ 1.000.000,00 em EPI’S para distribuição nos hospitais em apoio aos profissionais da categoria.

Carla Prado ainda falou sobre a significativa contaminação de profissionais de enfermagem que atuam na linha de frente nos hospitais, no combate ao Covid-19, provocando sofrimento a eles e seus familiares e transtornos aos planos de assistência à população decorrentes da dificuldade na recomposição das equipes de enfermagem.  A presidente citou que o primeiro falecimento ocorreu no Distrito Federal e afirma que as instituições de saúde são ambientes em que a enfermagem fica exposta a riscos biológicos e químicos, sofre forte carga emocional e física, pois atua em horários atípicos, com longas jornadas de trabalho, insuficiência de funcionários, carência de materiais e equipamentos, na maioria das vezes com baixos salários, sem autonomia e motivação

A presidente citou que o Coren-MG há muito tem alertado sobre o subdimensionamento do pessoal de enfermagem nas instituições de saúde e  avisado sobre a importância desse aspecto para oferta de uma assistência à saúde segura e de qualidade para os profissionais e para sociedade Brasileira.  O déficit de profissionais de Enfermagem já instalado antes da pandemia causa grande preocupação quanto às consequências danosas aos trabalhadores e aos usuários do sistema de saúde, que certamente serão potencializadas neste momento de enfrentamento ao Covid-19, assim como quanto ao potencial de aumento da sobrecarga de trabalho a qual os profissionais de Enfermagem estarão submetidos, causando maior desgaste físico e psicológico.

Assim, considerando a responsabilidade do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem e as questões do atual cenário epidemiológico em razão do novo Coronavírus (Covid-19), a Enfermeira Carla Prado solicitou ao deputado Zé Reis apoio na luta da Enfermagem e que as verbas parlamentares concedidas aos representantes do povo sejam direcionadas para o enfrentamento da pandemia. O deputado Zé Reis solicitou um estudo mais detalhado dos pormenores da categoria e afirmou que reconhece a importância da categoria no dia a dia da saúde, e mais ainda durante essa calamidade. (GA)