BNB anuncia aplicação de R$ 130,3 milhões no agronordeste

a ministra Tereza Cristina

O Banco do Nordeste anunciou ontem que está aplicando R$ 130,3 milhões no Norte de Minas dos recursos do Projeto Agronordeste, sendo R$ 78 milhões no Polo de Januária, para atender 15.472 produtores rurais e R$ 52,3 milhões no Polo de Salinas, para atender 9.296 produtores. Os dados foram apresentados ontem de manhã durante o lançamento do Programa Safra Agrícola 2020/2021, quando foi anunciado a disponibilização de R$ 515 milhões para a área mineira da Sudene, em aumento de 15% em relação a safra agrícola 2019/2020. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina participou da solenidade.

No Pronaf, serão R$ 50 milhões para Minas Gerais, enquanto em todo Nordeste são R$ 600 milhões: no Agroamigo o valor para a área mineira é de R$ 300 milhões, enquanto em todo Nordeste é de R$ 3 bilhões. Para o mini e pequeno produtor mineiro o montante é de R$ 165 milhões e para todo Nordeste, serão R$ 2 bilhões. Na reunião, a direção do Banco do Nordeste mostrou que o banco é responsável por 45,9% de todos os financiamentos rurais na área mineira da Sudene e de 15,8% do total do Espirito Santo, ambos jurisdicionados a Superintendência do BNB sediada em Montes Claros.

A grande polemica no lançamento foi a queixa do deputado federal Júlio César, coordenador da Bancada do Nordeste na Câmara dos Deputados, que aproveitou a solenidade para cobrar do Governo Federal uma renegociação das dividas rurais, pois afirma que isso foi negociado, mas não executado. Ele explicou ainda que o BNB anunciou a aplicação de R$ 1,848 bilhão dos recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), mas na verdade aplicou apenas R$ 20 milhões, quando a bancada nordestina tinha proposto R$ 500 milhões.

 

SUDENE – A área mineira da Sudene recebeu R$ Minas Gerais R$ 49,2 milhões de linha de crédito do FNE, para atender empreendedores afetados pela crise do novo coronavírus, conforme dados divulgados pela Sudene. Todos os estados foram contemplados, ficando a Bahia com R$ 142,3 milhões, Pernambuco com R$ 109,1 milhões e o Ceará com R$ 97,5 milhões. Em seguida vêm Paraíba (R$ 62,2 milhões), Maranhão (R$ 60 milhões), Rio Grande do Norte (R$ 55,2 milhões), Piauí (R$ 52,3 milhões), Minas Gerais (R$ 49,2 milhões), Alagoas (R$ 30 milhões), Sergipe (R$ 29,6 milhões) e Espírito Santo (R$ 13,3 milhões).

Estão disponíveis, no total, R$ 3 bilhões. Os R$ 701.343.581,1 contratados até o momento contemplaram os setores de comércio e serviços (R$ 601,9 milhões), Indústria (64,3 milhões), Turismo (R$ 30,5 milhões) e agroindústria (R$ 4,5 milhões). Foram contratados R$ 652,1 milhões para capital de giro e R$ 49,1 milhões para investimentos. o Programa Micro e Pequenas Empresas (MPE) foi contemplado com R$ 607,8 milhões. Na divisão relativa ao porte das empresas beneficiadas as de pequeno porte ficaram com R$ 566,1 milhões, seguidas por pequeno médio (R$ 57,6 milhões), micro (R$ 41,6 milhões), médio (R$ 35,1 milhões) e grande (R$ 700 mil). A Sudene disponibiliza em seu site todas as informações relativas à linha emergencial do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), com orientação sobre o caminho para obtenção de recursos e atualização dos valores liberados.