Centro Regional de Direitos Humanos pede ajuda para ações

O Centro Regional de Direitos Humanos do Norte de Minas pediu o apoio a Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (AMAMS) para ampliar suas ações nos 86 municípios da região, com ênfase no fortalecimento dos conselhos municipais e mais antiga na criação do Conselho Municipal dos Direitos Humanos. A coordenadora Júlia Veloso dos Santos e a assessora jurídica, Maria Tereza Queiroz, foram recebidas pela coordenadora do Departamento de Políticas Sociais da AMAMS, Laila Tatiane, e pelas técnicas Iria Ferreira e Claudinéia Francisco, quando discutiram estratégias de ações.

O Centro Regional de Direitos Humanos do Norte de Minas é o quarto existente em Minas Gerais, pois só existe em Alfenas, Juiz de Fora, Montes Claros e Teófilo Otoni. Criado e inaugurado 2017, em parceria com as Caritas, que é vinculada à Igreja Católica, o Centro Regional começou a funcionar em novembro passado, quando foram realizados os primeiros repasses. Porém, segundo Júlia Veloso, somente em janeiro deste ano as ações foram implementadas. “Queremos atuar com a AMAMS em reconhecimento a força da entidade na área municipalista. Podemos em parceria ajudar os municípios em várias ações vinculadas ao setor” – explica a coordenadora.

Nos dias 26 e 27 de abril o Centro Regional realizará o Seminário de Direitos Humanos, em Montes Claros, quando pedirá aos gestores municipais que criem o Conselho Municipal de Direitos Humanos. Maria Tereza lembra que o fortalecimento dos conselhos municipais implica em maior participação social e fiscalização dos projetos. Por isso, o foco que se pretende levar aos municípios. Laila Tatiane lembrou que o presidente da AMAMS, Marcelo Felix, prefeito de Januária, tem esse compromisso com o revigoramento do Norte de Minas e todas as parcerias são comemoradas.