China derruba preço do mel no Norte de Minas

A interferência da China derrubou o preço do mel no Norte de Minas, pois o quilo que chegou a custar de R$10,00 a R$12,00, caiu de R$5,00 a R$8,00 depois que os chineses espalharam os seus produtos no mercado internacional e fechou as portas para o Brasil na Europa e Estados Unidos. O assunto foi discutido ontem em Montes Claros, no 16º Seminário de Apicultura do Norte de Minas, realizado no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil e promovido pela Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e Parnaiba (Codevasf). Alex Douglas Martins Demier salientou que até mesmo produtores de Juiz de Fora vieram participar do evento.

O grande atrativo continua sendo o Mel de Aroeira, que somente é produzido no Norte de Minas e tem efeitos medicinais. A região continua sendo uma grande produtora de mel e tem 1.000 toneladas por ano, mas pode chegar a 5.000 toneladas. São 1.500 produtores envolvidos. O maior problema é o mel da China. Luciano Fernandes Souza, da Cooperativa de Apicultores de Bocaiuva, onde está o Entreposto do Mel, lamenta a concorrência desleal dos chineses, pois afirma que eles não apresentam a mesma qualidade do Norte de Minas. O mel chegou a custar R$12,00 o quilo, mas caiu demais. O Norte de Minas exportará a sua primeira carga de 20 toneladas para os Estados Unidos, com o preço de R$22,00 o quilo.

O presidente da Associação Rural de Apicultura de Januária, Jaci de Souza explica que o preço do mel realmente caiu demais e, por isso, a produção está ficando mesmo no mercado consumidor do Norte de Minas, como na merenda escolar dos municípios daquela parte da região. Ele lembra que até recentemente o excedente da produção era encaminhado para Santa Catarina, onde depois era exportado. Como agora abriu o Entreposto de Bocaiuva, isso ajudará. (GA)