EDIÇÃO 6.000 | Há 20 anos levando informação com credibilidade para todo o Norte de Minas

Nesta sexta-feira (29), o jornal Gazeta Norte Mineira alcança a marca de 6.000 edições, em 20 anos de circulação no Norte de Minas. A data é uma marca histórica para o diário, criado em 16 de janeiro de 1999, pelo empresário Vanjosé Ursine Fudoli.

Estrategicamente, o jornal fundado em Francisco Sá, a fim de não se criar alarde entre os concorrentes tradicionais em Montes Claros, começou a circular com a promessa de oferecer um jornalismo de qualidade.

A primeira edição foi lançada com oito páginas, sendo quatro dessas em policromia (quatro cores), com periodicidade quinzenal de dois mil exemplares que eram distribuídos a cada edição. Possuía apenas um colunista e duas jornalistas sem graduação.

Dado o primeiro passo, Vanjosé começou a sondar o mercado jornalístico em Montes Claros à procura de profissionais para ampliar a estrutura do veículo de comunicação. Associado a isso, manteve a linha ousada de se fazer jornalismo, com investigação e isenção, o que ganhou a aceitação dos leitores montes-clarenses.

Em 19 de outubro de 1999, o jornal instalou um escritório em Montes Claros, na rua Coronel José Alves, no bairro Alto São João, devido à importância econômica da cidade e as perspectivas de crescimento da mídia impressa. Três meses depois, a circulação do jornal passou a ser semanal, para tanto foram contratados outros dois jornalistas da cidade. Posteriormente, o mesmo passou a circular três vezes por semana.

O Jornal Gazeta tomou uma dimensão para além das expectativas e, em 3 de janeiro de 2000, foi lançada a edição diária, com 10 páginas e com circulação nas segundas-feiras, um diferencial em relação ao outros jornais. Na ocasião, o jornal transferiu a sua sede para a Av. Mestra Fininha, 1771, Jardim São Luiz, em Montes Claros. Nessa mesma época, o diário passou a circular com 12 páginas e foram lançados os cadernos Classificados, Regional de Francisco Sá e Jaíba e Gazeta infantil, encartado aos finais de semana. O caderno Vitrine foi outra novidade encartada quinzenalmente na edição de quarta-feira.

Como o jornal não tinha vínculos políticos, sustentando-se apenas da receita dos anúncios publicitários, começou a viver dificuldades econômicas e, em 31 de maio de 2002, o mesmo foi transferido o controle para o empresário Paulo Pereira Faustino. Preocupado em manter a qualidade dos serviços gráficos, característica marcante do jornal, o empresário conta que sentiu a necessidade de se investir na área gráfica, sendo assim, o jornal adquiriu uma gráfica própria, a Gráfica e Editora LTDA (Graf Norte).

O empresário, em virtude de questões profissionais, transferiu, em 10 de maio de 2004, a direção do diário para o também empresário Rafael Lopes Pereira; e a administração para Paulo Victor.

Em junho de 2009, o jornal mudou de sede para o local no qual permanece até os dias atuais, situado à rua Juventino Gomes, 223, Vila Guilhermina.

CRESCIMENTO | A presença cada vez mais marcante do jornal na região consolidou-se em números, ao longo das últimas duas décadas. As edições são encontradas em diversos pontos da cidade, em bancas e estabelecimentos, e em nossas redes sociais já são mais de 21.000 inscritos.

Um dos motivos para o crescimento é o investimento no aprimoramento contínuo do conteúdo editorial, reforçado pela renovação do quadro de profissionais responsáveis pelas reportagens.

"Chegar a seis mil edições é uma grande vitória. Nosso maior desafio, agora, é expandir o jornal na região”, explica o diretor-presidente Rafael Lopes Pereira.

Rafael Lopes afirma ainda que, tendo em vista o crescimento do jornal, é necessário investir cada vez mais nos profissionais para ampliar a área de cobertura do jornal. “A região tem grande relevância econômica e política dentro do Estado e precisa de um jornal atuante como o Gazeta”, completa.

O administrador Paulo Victor lembra que, quando assumiu a direção administrativa do jornal já sabia da responsabilidade e do desfaio que o jornal representava. Ele conta que está, a cada dia, conseguindo transformar o veículo de comunicação no melhor e com mais credibilidade da região.