Estado anuncia 100 poços artesianos em comunidades com escassez de água

O Governo de Minas Gerais selecionará municípios de regiões com baixa disponibilidade de água potável para construção de 100 poços artesianos nos próximos dois anos. Edital com as orientações às prefeituras foi publicado nesta terça-feira (19/5). Os trabalhos são coordenados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), por meio da Subsecretaria de Gestão Ambiental e Saneamento (Suges). O objetivo do edital é selecionar cidades em que há comunidades com dificuldades de obter água potável para as necessidades diárias.

Cada prefeito poderá solicitar, no máximo, cinco poços para serem construídos no município. Funcionários da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) irão realizar as perfurações com maquinários cedidos pela Semad, por meio de um Termo de Cooperação Técnica. As inscrições para os municípios podem ser feitas até 19 de junho.

O governador Romeu Zema destaca a importância da iniciativa. “A seleção dos municípios será pautada em critérios técnicos de prioridade, de acordo com a disponibilidade hídrica de cada região. Isso porque, a transparência na tomada de decisão é essencial para uma gestão com foco em resultado. Com a efetiva funcionalidade dos poços, espera-se levar água potável para comunidades de nosso Estado e contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas alcançadas pela medida”.

A publicação do edital representa uma grande e importante mudança dentro da gestão ambiental em Minas, na avaliação do secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Germano Vieira. “Com a publicação do edital, o Estado está estabelecendo critérios técnicos para a escolha das áreas onde serão construídos os poços artesianos, o que não era feito no passado. Isso é de fundamental importância porque atende a regiões que precisam, por ordem de prioridade, dentro da necessidade hídrica”, afirma o secretário. De acordo com o subsecretário de Gestão Ambiental e Saneamento, Rodrigo Franco, o edital traz critérios isonômicos para a escolha dos municípios, com os seguintes parâmetros classificatórios e eliminatórios.