IFNMG teve a melhor média do Enem no Norte de Minas

O Instituto Federal do Norte de Minas Gerais obteve a melhor colocação entre as escolas públicas do Norte de Minas e Vales do Jequitinhonha e Mucuri, conforme dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) em nove cidades da sua área de jurisdição. O curioso é que entre todas as escolas em cidade do Norte de Minas, envolvendo as escolas públicas e particulares, o IFNMG obteve o primeiro lugar geral apenas em Januária e Pirapora. Depois ficou em segundo lugar, em Janaúba e Montes Claros e; 3º lugar, em Salinas.

Nas cidades de Almenara, Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha e Arinos, no Noroeste e Minas, o IFNMG ficou em 1º lugar geral, à frente, também, de todas as escolas particulares. Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri ficou em segundo lugar e Salinas, ficou em terceiro lugar. No Campus Diamantina, a primeira turma do Ensino Médio integrado ainda não concluiu o curso. No Campus Avançado Porteirinha ainda não há oferta do Ensino Médio integrado. O IFNMG oferta o Ensino Médio de forma integrada à formação profissional, trabalhando a educação de forma ampliada – inclusive com pesquisa e extensão – e garantindo uma qualificação profissional aos concluintes. Ao se formar, boa parte dos estudantes opta por dar sequência aos estudos, buscando uma graduação no próprio Instituto ou em outras universidades, muitas vezes em cursos que são a continuidade da área técnica em que se formaram.

Além do integrado e da graduação, o Instituto também oferta cursos de formação inicial e continuada, mestrado, cursos de capacitação e cursos técnicos para quem já tem ou está fazendo o Ensino Médio em outra escola. Segundo o pró-reitor de Ensino do IFNMG, professor Ricardo Cardozo, o resultado do Ensino Médio Integrado à Educação Profissional do Instituto no Enem demonstra o compromisso da instituição com a educação de qualidade socialmente referenciada. “É importante ressaltar que a integração entre ensino, pesquisa e extensão, desenvolvida pelo IFNMG, prepara os discentes para trilharem caminhos como o demonstrado pela avaliação do Enem”, destaca Cardozo.                 

Ele observa que “quando há verticalização para o ensino superior os estudantes levam consigo saberes e competências adquiridos em sua formação técnica que influenciam para uma maior contextualização do conhecimento e possibilita que o estudante se torne mais seguro e preparado, colaborando, por conseguinte, para tornar-se um profissional que atuará no mundo do trabalho com dinamismo, comprometimento; assentado em uma formação crítica e cidadã que contribuirá para a construção de uma sociedade mais justa”, pondera.