Marcelo Freitas comemora demissão na Cultura

A demissão do secretário especial de Cultura, Roberto Alvim, realizada ontem pelo presidente Jair Bolsonaro, foi aplaudida pelo deputado federal Marcelo Freitas, que mesmo de férias, publicou pelas redes sociais que “a cultura não pode ser imposta a uma civilização pelos governantes!. A história nos mostra exemplos assustadores de como a imposição estatal levou à perseguição e eliminação de milhões de seres humanos. Para quem esperou lealdade cega a determinadas pessoas, um enorme engano. Defenderei sempre o bom, o justo e o correto. Fora Roberto Alvim!”.

O secretário Roberto Alvim provocou uma onda de indignação, após copiar frases de um discurso nazista em um pronunciamento oficial.  A polêmica surgiu após um vídeo ser divulgado para anunciar o Prêmio Nacional das Artes, projeto de mais de R$20 milhões, onde na gravação, Alvim copiou uma citação do ministro de propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels. Além disso, o anúncio traz como fundo musical a ópera "Lohengrin", de Richard Wagner, compositor alemão celebrado pelo nazismo. O vídeo e as referências ao nazismo incomodaram até mesmo o mentor de Roberto Alvim, o ideólogo Olavo de Carvalho.

Em entrevista a meios de comunicação na manhã desta sexta-feira, Roberto Alvim negou conhecimento da frase de Goebbels, mas disse que concorda com ela. O discurso teria sido escrito em um "brainstorming", segundo ele. A finalização do texto foi dele, no entanto. A decisão de demiti-lo teria vindo após um posicionamento da cúpula militar do governo, que pediu que Jair Bolsonaro agisse rápido, antes que a crise causada pelo pronunciamento fascista para anunciar planos de governo ficasse fora de controle. (GA)