Norte de Minas buscará nordestinos para duplicar rodovia

A União das Entidades de Classes do Norte de Minas decidiu buscar o apoio dos nordestinos para viabilizar a duplicação da BR 251, que interliga o Sudeste e Nordeste brasileiro. Por isso, além de acionar todos os deputados mineiros que foram votados na região, buscarão os deputados nordestinos, tendo em vista a força da Bancada Nordestina no Congresso Nacional. O presidente da Agência de Desenvolvimento do Norte de Minas (Adenor), Alexandre Pires Ramos fez uma análise do Encontro Multimodal, realizado durante a Feira Nacional da Indústria, Comércio e Serviços (Fenics), quando mostrou que a proposta da concessão da rodovia ser repassada aos municípios, para eles fazerem a privatização, é dificultada pelo fato de nunca ter ocorrido uma experiência desse modo no Brasil.

O foco é tentar devolver a delegação da BR-251 para o Estado, como ocorreu até 1996. Com a rodovia estadualizada, o principal aspecto é que dará maior agilidade ao Estado para fazer a sua privatização, com a cobrança de pedágios. O mesmo ocorreu com a BR-135, no trecho de Montes Claros com a BR-040, com 300 quilômetros de extensão. O que irritou as entidades é que o valor do pedágio começou a ser cobrado no dia 1º de abril em R$7,20 cada, em cada uma das cinco praças de pedágios. No dia 24 de outubro a Adenor fará o Seminário Regional, na cidade de Grão Mogol, com esse assunto sendo um dos destaques.

Ainda na reunião das entidades, ficou definido que será pedido aos deputados do Norte de Minas para direcionarem as suas emendas para a construção do Centro de Convenções de Montes Claros. Desde o ano de 2006 que o Ministério do Turismo liberou a verba para iniciar a obra. Montes Claros deixou de fazer o serviço e devolveu a verba. Como cada deputado estadual terá uma emenda extra de R$1 milhão, além dos deputados federais outros R$10 milhões cada, a proposta é deles direcionarem suas emendas para essa obra.  Ainda na reunião, o coordenador do Observatório Social de Montes Claros, Edenilson Durães apresentou o projeto dessa unidade, criado em dezembro de 2017, mas ainda sem entrar em funcionamento por falta da indicação de representantes.