Norte de Minas pede Romeu Zema para manter secretaria regional

O Norte de Minas passou a contar desde essa segunda-feira (11) com a Frente Parlamentar, formada pelos oito deputados eleitos pela região e ainda pelas entidades de classes, sendo que a primeira missão será no dia 22 de março, quando o governador Romeu Zema estará em Montes Claros para a posse da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (AMAMS) e receberá a pauta de reivindicação da região, aprovada ontem à tarde. A principal pauta é a manutenção da Secretaria Estadual do Norte de Minas, que está sendo extinta na reforma administrativa enviada pelo Estado para apreciação da Assembleia Legislativa. Outra demanda é a viabilização do Anel Rodoviário Norte, em Montes Claros.

A reunião realizada ontem na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais-Núcleo Norte de Minas contou com as presenças dos deputados Carlos Pimenta, Gil Pereira, Marilene Leninha, Marcelo Freitas, Paulo Guedes, Tadeuzinho e Zé Reis, além dos presidentes de todas as entidades. Todos os deputados defenderam a manutenção da secretaria estadual, devidamente melhorada. Carlos Pimenta lamentou que a região esteja se distanciando da Sudene. O principal pleito foi pela utilização das emendas parlamentares para viabilizar as grandes obras. O deputado Carlos Pimenta entende que são poucos recursos. Tadeuzinho Leite informou que elas passaram a ser impositivas este ano. Zé Reis se dispôs a encaminhar suas emendas para essa finalidade.

A pauta das entidades de classes pediram a duplicação da BR-251 e a pavimentação do trecho final da BR-135, entre Itacarambi e Manga e ainda o Anel Rodoviário de Montes Claros. O deputado Zé Reis pediu a inclusão da BR-479, que ligará Januária a Brasília. O deputado Gil Pereira salientou que a Barragem de Jequitaí já tem R$24 milhões no orçamento e tem de ser retomada. Propôs que o Exercito Brasileiro assuma essa obra. A deputada Leninha lembrou que o Anel Rodoviário passaria dentro de vários bairros da cidade e ficou feliz em saber que seu traçado será melhorado. Alertou para a região sair em defesa da Unimontes, pois ela está sendo levada para a Secretaria da Educação e sem suporte orçamentário.

O deputado Marcelo Freitas salientou a importância das barragens de Berizal, Congonhas e Jequitaí, além de evitar o esvaziamento da Barragem da Caatinga, mas lembrou que existe necessidade das lideranças da região pararem de ficar no discurso e partirem para as ações. Se dispôs a marcar as audiências em Brasília. Propôs o fortalecimento da saúde, principalmente com os hospitais microrregionais.  Pediu que as entidades ajudassem na discussão sobre a reforma da previdenciária, para depois vir a reforma fiscal.

O deputado Tadeuzinho Martins salientou que aquele momento era histórico, pois unia a classe política com a sociedade civil e que os políticos enfim entenderam que deveria ter suas divergências apenas no período eleitoral. O deputado Paulo Guedes apoiou as causas levantadas, mas alertou que é preciso reativar a secretaria estadual do Norte de Minas, que nos últimos anos injetou R$1 bilhão na economia regional. Afirmou que a reforma da previdência acaba com a aposentadoria regional e quebrará vários municípios do Norte de Minas, que tem nessa receita a principal fonte de renda.