AMR comemora 55 anos de existência

A Associação Mineira de Reabilitação (AMR) comemora, sábado, 27 de julho, 55 anos de existência. Mais de meio século cuidando de crianças e adolescentes com deficiência física. A maioria possui paralisia cerebral, além de outras síndromes, todas de famílias em situação de vulnerabilidade social.

O maior desafio da instituição é garantir a sua sustentabilidade e, assim, seguir oferecendo atendimento gratuito a quase 500 crianças, de Belo Horizonte e mais 29 cidades da Região Metropolitana. O paciente quando admitido na instituição, permanece com o tratamento até atingir a idade de 17 anos e 11 meses.

Durante todo o tempo em que estão na AMR, os atendidos recebem tratamento altamente qualificado, com especialistas em 16 áreas: esporte terapia; fisioterapia; fonoaudiologia; musicoterapia; neuropediatria; nutrição; odontologia; ortopedia; psicologia; serviço social e terapia ocupacional. Existe também uma equipe com profissionais das áreas de fonoaudiologia, psicologia e terapia ocupacional que vão até às escolas orientar professores e tutores sobre as formas corretas de cuidar e integrar as crianças com deficiência aos demais alunos e às atividades oferecidas em sala de aula.

Além disso, os atendidos pela AMR recebem tudo o que precisam para a sua reabilitação: cadeira de rodas; cadeiras de banho, órteses, bengalas, andadores etc. É tudo fornecido gratuitamente pela Oficina Ortopédica da AMR, que produz os equipamentos terapêuticos dentro da instituição há quase 50 anos. As cirurgias também são custeadas pela instituição, com verba arrecada por meio de campanhas e eventos.

Toda essa estrutura é mantida com recursos vindos de doações de pessoas físicas e jurídicas; ações realizadas pelo Corpo de Voluntários da instituição e ainda do aluguel de espaços dentro do prédio da AMR para outras empresas, como o Hospital Ortopédico, um dos inquilinos mais antigos e importantes da AMR.

A AMR nasceu do sonho do fisiatra, especialista em Medicina de Reabilitação, Márcio de Lima Castro, de criar um centro para tratamento de reabilitação física e neurológica para crianças. Isso porque, à época (1964), havia um grande número de crianças com sequelas da poliomielite (paralisia infantil). Aqueles com menos condições financeiras quase não tinham acesso a tratamentos adequados, por isso a necessidade de criar um espaço especializado para o atendimento infantil.

Foi a partir dessa realidade que o Dr. Márcio idealizou a Associação Mineira de Reabilitação (AMR), formando uma equipe de médicos fisiatras, com o apoio do Dr. José Mendes Junior, na época presidente da Construtora Mendes Junior. E, graças a esses esforços conjuntos, o Dr. Márcio Castro conseguiu tornar o seu sonho uma realidade. 

A reunião de constituição da AMR aconteceu em 27 de julho de 1964. Desde então, graças ao apoio de toda a sociedade, a AMR segue promovendo o tratamento gratuito a crianças e adolescentes carentes com deficiência física.  Atualmente, quando o assunto é reabilitação motora, a AMR é referência no estado de Minas Gerais.