Deputado Zé Reis pede vacinação para assistência social

o deputado Zé Reis

O deputado Zé Reis, vice-presidente da Comissão de Constituição e Justiça, solicitou ao Estado que seja realizada a vacinação contra a gripe, de forma prioritária para os profissionais da área de assistência social de Minas Gerais, nos mesmos moldes do que tem ocorrido na área de saúde. Ele apresentou requerimento protocolado na Assembleia Legislativa de Minas Gerais e encaminhou ao governador Romeu Zema e aos secretários estaduais de Saúde, Carlos Eduardo Pereira e de Desenvolvimento Social, Elizabeth Jucá. O deputado lembra que esses profissionais da assistência social atuam em diversos programas e projetos, ficando em risco de serem contaminados, por terem contatos com diversas pessoas, muitas delas em vulnerabilidade social e de grupos de riscos.

Na sua justificativa, o deputado Zé Reis explica que foi alertado por profissionais da assistência social, como Junior Mesquita, que presta consultoria e assistência para diversas Prefeituras do Norte de Minas, sobre a importância de interceder pelos assistentes sociais, psicólogos e outros técnicos e profissionais que atuam nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centro de Referencia Especializada de Assistência Social (CREAS), Centro Pop, Abrigos e várias outras entidades que atuam nesse setor. Por isso, o seu pedido para que sejam incluídos no grupo prioritário de vacinas da gripe.

No seu pedido, Zé Reis cita tendo em vista o trabalho desenvolvido por eles neste momento de pandemia de Covid-19 (coronavírus), é importante essa vacinação. “Os servidores da assistência social desempenham trabalho essencial durante o período de pandemia do Covid-19 (coronavírus). Porém, não estão na lista de prioridade para a vacinação contra a gripe. A população atendida pela assistência social em grande parte vivem em situação de pobreza, trabalham na informalidade, moram em domicílio precário, não possuindo condições de fazer uso das medidas adequadas de prevenção (fazer uso de álcool em gel, por exemplo) para conter a pandemia do novo coronavírus, o que as torna mais vulneráveis diante da pandemia. Fazendo-se portanto incluí-los no grupo prioritário”, explica o parlamentar.