Grappa recebe repasse para continuar o atendimento

O Grupo de Apoio à Prevenção aos Portadores da AIDS (Grappa) assinou o contrato com a Secretaria Municipal de Saúde para receber o repasse de R$ 133.629,60 liberado pelo Ministério da Saúde para custeio das ações desenvolvidas pela casa de apoio para pessoas vivendo com HVI/AIDS. A presidente Maurina Carvalho explica que a verba alivia a situação da unidade, que tem cadastrado aproximadamente 800 pessoas com a doença, onde em média, 30 se alimentam no local. “O valor não dá para cobrir as despesas e por isso, dependemos da doação de voluntários. Com esse repasse temos de contratar três profissionais e cobrir as despesas”, explica a presidente.

Por causa da pandemia coronavírus, o Grapa de Montes Claros suspendeu as suas atividades presenciais na sua unidade e passou a dar assistência às famílias dos pacientes. Porém a partir de 7 de julho voltará a atender em sua sede. Maurina Carvalho está preocupada com a quantidade de novos casos de pessoas com AIDS no Norte de Minas, em situação que ela entende ser melhor estudado. Até mesmo nessa época de Pandemia têm ocorrido casos, quando se recomenda o isolamento social. Desde que assumiu a presidência do Grappa, Maurina Carvalho tem esbarrado numa situação preocupante, que é a divida deixada pela antiga diretoria. Mas tem recebido o apoio da sociedade para enfrentar essa situação.

O Grupo de Apoio à Prevenção e aos Portadores da AIDS (Grappa) é uma entidade civil, filantrópica, reconhecida a título de utilidade pública municipal e estadual, fundada em 1992. Desde a sua criação, trabalha com prevenção e apoio aos portadores do vírus HIV e doentes de AIDS. Este trabalho se dá com apoio psicossocial, visita hospitalar e domiciliar, reuniões de convivência mensal com familiares, atividades de entretenimento e socialização com amigos e familiares, almoço solidário todos os dias, encaminhamento para exames e orientações sobre as informações claras dos serviços de saúde, aulas de reforço escolar, artesanato, dança e teatro para crianças e adolescentes, acolhimento às crianças HIV+ oriundas de outros municípios vizinhos que precisam de tratamento fora de domicilio.

Além disso, são realizadas campanhas de prevenção tanto com os portadores de HIV/AIDS quanto com a população de Montes Claros e diversas cidades do Norte de Minas.  O Grappa possui finalidades e objetivos assistenciais ao seu público alvo que são os portadores da AIDS, tendo ainda as seguintes metas prioritárias para garantir o apoio àqueles que se descobrem ser portadores do HIV/AIDS, de forma a proporcionar, intermediar ou fazer meio, desde que de ordem legal e moral, perante a sociedade em que se encontrarem inseridos, para que deem a continuidade da vida em todos os seus aspectos.

Montes Claros é polo receptor de tratamento dos pacientes com DST/HIV/AIDS de 69 municípios do Norte de Minas. O Grappa é a única instituição no gênero nesta região a atender esta respectiva população, tendo ainda como objetivo o trabalho voltado à prevenção para diminuição da epidemia HIV/AIDS na região. Desde fevereiro/2004, a instituição funciona como Casa de Apoio para adultos, crianças e adolescentes vivendo com HIV/AIDS. A instituição referente à Casa de Apoio recebeu em 2011, através de convenio com a Secretaria Estadual de Saúde, juntamente com a Coordenação Estadual de Saúde, uma verba que possibilitou a compra de um imóvel para adequação de infraestrutura, visto que desde 2004 trabalha como Casa de Apoio.

Atualmente o foco do trabalho está voltado a prevenção e tratamento de doenças sexualmente transmissíveis em especial o HIV/AIDS. A referente cidade é polo-receptor de tratamento aos pacientes com DST/HIV/AIDS em todo o Norte de Minas. Para tanto, tem-se o Hospital Universitário Clemente Faria que conta com uma equipe de profissionais médicos, psicólogos, assistente social, dentre outros prestando todo tipo de atendimento e acompanhamento, inclusive internações e medicação necessárias ao soro-positivo; o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) onde os usuários recebem atendimento individual, fazem exames de sangue mensalmente; e o Grupo de Apoio a Prevenção e aos Portadores da Aids (Grappa), entidade civil, filantrópica é a única instituição em gênero nesta região a atender a respectiva população com trabalhos de apoio e prevenção possibilitando a diminuição da epidemia de HIV/AIDS nesta região. (GA)