Oficinas orientam municípios na implantação da carteira de serviços nas unidades de saúde

Até o dia 31 deste mês os municípios deverão enviar
ao Núcleo de Atenção Primária à Saúde da SRS a
proposta preliminar de Carteira de Serviços

Coordenadores municipais de atenção primária à saúde e referências técnicas em saúde bucal iniciaram nesta segunda-feira, 2, a participação em oficinais de capacitação organizadas pela Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS) com o objetivo de orientá-los quanto à elaboração da Carteira Municipal de Serviços da Atenção Primária. Até o dia 31 deste mês os municípios deverão enviar ao Núcleo de Atenção Primária à Saúde da SRS a proposta preliminar de Carteira de Serviços, aprovada pelo Conselho Municipal de Saúde da sua respectiva localidade. Já a proposta final, que também deverá ser submetida a aprovação dos conselhos municipais de saúde, deverá ser definida pelos municípios até 29 de dezembro deste ano.

Nesta segunda-feira a oficina de capacitação, realizada no período de 8 às 17 horas nas Faculdades Integradas Pitágoras, em Montes Claros, contemplou a participação de representantes dos municípios que compõem a microrregião de saúde Montes Claros/Bocaiuva. Nesta terça-feira a oficina reunirá representantes dos municípios das microrregiões de Coração de Jesus e Francisco Sá. Quarta-feira o trabalho terá continuidade com a microrregião de Janaúba/Monte Azul e será encerrado quinta-feira, dia 5, com os municípios que compõem a região de saúde Salinas/Taiobeiras.

A coordenadora do Núcleo de Atenção Primária à Saúde da SRS de Montes Claros, Renata Fiúza explica que a carteira de serviços é o padrão de referência que deve ser utilizado nos serviços de atenção primária dos municípios para organização e oferta das ações de saúde no âmbito do cuidado e da gestão. Tem como objetivo ser um guia facilitador para o planejamento e organização dos processos de trabalho, em busca de fortalecer as ações e serviços de saúde na atenção primária, em seu papel coordenador e ordenador do processo integral do cuidado, impactando de forma positiva na saúde da população.

Para a implantação da carteira de serviços os municípios terão que realizar diagnóstico visando identificar as principais necessidades da sua população a fim de que, posteriormente, as unidades básicas de saúde passem a ofertar os serviços que são mais demandados pelos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Trata-se de uma oportunidade para os municípios fortalecerem a estratégia de saúde da família no Norte de Minas, ofertando à população os serviços que ela realmente necessita em relação à atenção primária em saúde”, alerta Renata Fiúza.

Nos municípios os trabalhos para definição da carteira de serviços serão conduzidos por grupo formado pelo gestor de saúde, pelo coordenador municipal de atenção primária e por profissionais que integram as equipes de atenção primária à saúde. Os municípios também poderão convidar para participar do grupo de trabalho representantes de instituições públicas e privadas, bem como especialistas e pesquisadores do segmento de atenção primária à saúde.