Santa Casa faz campanha para receber máscaras e álcool

A Santa Casa de Montes Claros está promovendo uma campanha preventiva para que não faltem máscaras (cirúrgicas descartáveis ou N95/PFF2) e álcool 70% (líquido ou gel), diante do aumento do consumo desses materiais, gerado pelas medidas de prevenção ao coronavírus/Covid-19. O superintende Maurício Sérgio Sousa e Silva afirma que a iniciativa é mais uma das medidas que a Instituição vem adotando para combater o coronavírus/Covid-19. “Criamos um Comitê de Crise assim que surgiram as primeiras possibilidades da pandemia atingir nossa região. Desenvolvemos vários fluxos internos para criação do plano de contingência para atendimento dos pacientes com suspeita do coronavírus. Essa ação leva em consideração, principalmente, a segurança dos nossos colaboradores e profissionais médicos”, destaca Silva.

O superintendente explica que outra medida tomada via comitê, foi o treinamento e reciclagem da higienização correta das mãos e sobre o uso de EPIs. “Através do Setor de Controle de Infecção, treinamos cerca de 700 colaboradores. Também adotamos medidas como Home Office e rodízio para alguns colaboradores que podem continuar exercendo suas atividades laborais nesses formatos”, diz. Outra iniciativa implementada no hospital foi a suspensão das visitas aos pacientes e ações voluntárias. “Diariamente, entre pacientes, colaboradores e fornecedores, temos uma média de 3.500 pessoas dentro do hospital. Essa atitude teve como foco diminuir a circulação interna na nossa Instituição”, fala Maurício Sérgio.

Ele explica que o lançamento da campanha vai de encontro às medidas adotadas internamente. “Estamos incentivando o uso racional dos Equipamentos de Proteção Individual - EPIs. Por exemplo, dentro do hospital temos vários pontos disponibilizados com pias (água e sabão). Dessa forma, temos orientado nossos profissionais a darem preferência para essa forma de higienização das mãos, que é até mais eficaz do que o uso do álcool gel. Além disso, temos orientando constantemente sobre o uso dos EPIs, ou seja, quando devem ser usados e por quem devem ser utilizados”, ressalta o gestor. Ele destaca que também foram espalhadas várias orientações internas através de banners, comunicados internos/ externos, além do uso das redes sociais da Santa Casa para esclarecer dúvidas da população como um todo.