UPA Chiquinho Guimarães é inaugurada sem equipamentos

A Unidade de Pronto Atendimento UPA Chiquinho Guimarães foi inaugurada na noite de sábado, sem estar equipada, mas como o prazo para esse tipo de evento termina no dia 3, foi a forma encontrada pela Prefeitura. A UPA foi instituída oficialmente em Montes Claros, conforme Decreto 4065, publicado no Diário Oficial de sábado, com a argumentação da necessidade de concentrar os atendimentos de saúde de complexidade intermediária, nos limites da sua capacidade instalada, com qualidade e atendimento aos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde – SUS, compondo uma rede organizada em conjunto com a Atenção Básica, Atenção Hospitalar, Atenção Domiciliar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU e também de promover a interface entre as unidades básicas de saúde e as portas de urgências hospitalares, nas quais, em conjunto com estas, compõe uma rede organizada de Atenção às Urgências.

A UPA Chiquinho Guimarães fica classificada como 24 horas e Porte III e Opção VIII. São diretrizes dela o funcionamento ininterrupto por 24 horas, em todos os dias da semana, incluindo feriados e pontos facultativos; equipe assistencial multiprofissional com quantitativo de profissionais compatível com a necessidade de atendimento com qualidade, em conformidade com a necessidade da Rede de Atenção à Saúde e as normativas vigentes, inclusive as resoluções dos conselhos de classe profissional; acolhimento, classificação de risco por meio da utilização do Protocolo de Manchester, ou outro fixado pelo Núcleo de Apoio Técnico da Secretaria Municipal de Saúde.

Para a consecução de seus objetivos, caberá à UPA Chiquinho Guimarães  acolher os pacientes e seus familiares em situação de urgência e emergência, sempre que buscarem atendimento nesta unidade de pronto atendimento; articular-se com a Atenção Básica, o SAMU, a Atenção Domiciliar e a Atenção Hospitalar, bem como com os serviços de apoio diagnóstico e terapêutico e outros serviços de atenção à saúde, por meio de fluxos lógicos e efetivos de referência e contrarreferência, ordenados pelas Centrais de Regulação de Urgências e complexos reguladores instalados nas regiões de saúde.

Também prestar atendimento resolutivo e qualificado aos pacientes acometidos por quadros agudos ou agudizados de natureza clínica, e prestar o primeiro atendimento aos casos de natureza cirúrgica e de trauma, estabilizando os pacientes e realizando a investigação diagnóstica inicial, de modo a definir a conduta necessária para cada caso, bem como garantir o referenciamento dos pacientes que necessitarem de atendimento; funcionar como local de estabilização de pacientes atendidos pelo SAMU; realizar consulta médica em regime de pronto atendimento nos casos de menor gravidade; realizar atendimentos e procedimentos médicos e de enfermagem adequados aos casos demandados à unidade.

Ainda tem de prestar apoio diagnóstico e terapêutico conforme a sua complexidade; manter pacientes em observação, por até 24 horas, para elucidação diagnóstica ou estabilização clínica, e encaminhar aqueles que não tiveram suas queixas resolvidas com garantia da continuidade do cuidado para internação em serviços hospitalares de retaguarda, por meio da regulação do acesso assistencial e exercer outras atribuições necessárias ao pleno atendimento das necessidades da Secretária Municipal de Saúde. (GA)