Conselho tutelar aponta queda dos casos de violência sexual

A mesa redonda
Foto: GIRLENO ALENCAR

O Conselho Tutelar de Montes Claros informou que ocorreu queda dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes na cidade, pois, neste ano, nos quatro meses e 15 dias, foram registrados 14 casos de suspeita de abuso sexual e dois casos de exploração sexual. Os dados foram repassados pelos conselheiros tutelares Leonardo Prates e Rita de Cássia Neves, durante mesa redonda realizada pela Comunidade Cristã Videira, na noite de quarta-feira. Eles mostraram que em 2019 foram ao todo 148 casos, enquanto em 2018 foram 93 casos; em 2017, com 56 casos e 2016 com 165 casos. O evento marcou as comemorações do Dia Nacional de Enfrentamento a Violência Sexual contra crianças e adolescentes.

Além dos dois conselheiros tutelares, participaram do evento a defensora popular Josemeire Lopes, do Grupo JABS, e a psicóloga Claudia Gislene Rocha Fonseca, coordenadora do CRAS Maracanã. O conselheiro Leonardo Prates mostrou a necessidade de trabalhar em rede para resolver esse problema em Montes Claros e explica que muitas vezes a falta de infraestrutura atrapalha os trabalhos, além da vaidade de muitas pessoas, pois as bases dos órgãos públicos muitas vezes querem fazer as ações, mas a hierarquia impede. Por isso, entende que o enfrentamento depende mais da vontade do prefeito municipal.

A psicóloga Claudia Gislene citou como exemplo de violação o trabalho infantil que ainda ocorre, principalmente nas comunidades de vulnerabilidade social. A defensora popular Josemeire Lopes cobrou mais ação do poder público, pois entende que as ações não podem ficar restritas as datas comemorativas, quando deveria ser uma ação conjunta. Ela lembrou o papel da escola nesse assunto, pois os problemas são identificados em sua maioria pelos professores e como as aulas estão suspensas, isso acaba sendo prejudicado.