Gêmeos que tentaram fraudar Enem são presos por aplicar golpes pela internet

Dois irmãos gêmeos, de 24 anos, foram presos em Montes Claros suspeitos de aplicarem golpes em vendas pela internet. Foram apreendidos R$ 24 mil, celulares, cartões, notebook e uma máquina de contar dinheiro. De acordo com a Polícia Militar, os irmãos já haviam sido detidos, em 2018, por tentarem fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Ainda segundo a PM, eles anunciavam celulares e outros produtos com preços baixos para chamar a atenção das pessoas, em um site de compra e venda ou pelas redes sociais. Quando elas manifestavam interesse em comprar, a dupla enviava notas fiscais e códigos de rastreamento falsos. O valor era depositado e os itens nunca eram despachados para entrega.

"Foi registrada uma ocorrência em Belo Horizonte de valor depositado e produto não entregue. Diante disso, os setores de inteligência da Polícia Militar conseguiram rastrear dados e apontar os suspeitos. Eles agiam há pelo menos seis meses, sendo movimentado nesse período cerca de R$ 50 mil", explica o tenente Clyver Oliveira.

De acordo com o tenente, os jovens confessaram que enganavam as pessoas na internet e que "o negócio estava dando muito certo".

"Eles chegavam a tirar, em média, R$ 3 mil por dia, sendo que escolhiam vítimas que não eram de Montes Claros, para não levantar suspeitas. O dinheiro servia, principalmente, para bancar festas e comprar eletrônicos. O objetivo deles era levantar valores cada vez mais altos, por isso, adquiriram a máquina de contar cédulas”.

Duas amigas dos gêmeos também foram detidas suspeitas de envolvimento no crime. As mulheres são irmãs e uma delas aparece como titular da conta bancária que recebia os depósitos. Ela disse à polícia que emprestava o cartão porque ele estava inativo e nega qualquer envolvimento com os estelionatos virtuais.

Os quatro suspeitos foram encaminhados à delegacia e a Polícia Civil vai investigar o caso.

Fraude no Enem

Os dois irmãos foram presos em 2018 suspeitos de tentarem fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio, no primeiro dia de provas. Com eles, foram apreendidos ponto eletrônico, celulares, fones de ouvidos e RGs falsos. Os irmãos foram flagrados na mesma sala, na Escola Estadual Armênio Veloso, no Bairro de Lourdes, em Montes Claros.

Eles foram liberados em menos de 48 horas depois que a Justiça Federal concedeu liberdade provisória sem pagamento de fiança.

Na época, a decisão do juiz esclarecia que a intenção deles era ‘passar cola’ da prova do ENEM para o outro, “por intermédio de um ponto eletrônico escamoteado em seu ouvido e em um colar, adquiridos na Internet”.