Oficina de maquiagem do ‘Fica Vivo!’ trabalha autoestima de jovens

Pele limpa e hidratada, pronta para a base, a sombra, a máscara de cílios, o corretivo, o pó compacto e outros truques revelados às 15 jovens que participam da oficina de maquiagem ofertada pelo programa Fica Vivo!, do Governo de Minas Gerais. Para além das dicas de makes, a oficineira Deise Paulino procura trabalhar também as questões de empoderamento feminino.

Como destaca Deise, a adolescência traz naturalmente diversas questões de autoestima. Por isso a oficina, além de trabalhar as competências técnicas, tem a oportunidade de abordar questões cotidianas, como namoro, gravidez, estudo, bullying, sonhos e perspectivas.

Ela conta que procura abrir espaço para o diálogo de assuntos que permeiam a idade, de forma que elas possam parar para refletir sobre outros pontos de vista. “Eu vejo o resultado de perto: meninas que fizeram o curso e hoje buscam a felicidade a sua maneira têm a profissão de maquiadora como fonte de renda ou, até mesmo, ingressaram em uma universidade”, conta a oficineira.

A capacitação é voltada tanto para a automaquiagem quando para a profissionalização – quando se produz outras pessoas - trazendo uma opção de geração de renda para as meninas. Deise conta que o melhor retorno é a presença assídua das alunas, que ainda indicam para outras pessoas.

Maiza Santos, de 14 anos, que sempre gostou de se maquiar, é exemplo disso.  Ela ficou sabendo da oficina através de uma amiga e faz questão de comparecer em todas as atividades.

Assim como sua irmã mais velha, de 21 anos, que fez um ano de oficina em 2017 e agora já atende clientes em casa, Maiza também quer trabalhar como maquiadora. “Apesar de sempre ter gostado, foi com a Deise que aprendi diversas técnicas”, diz.

Ela também revela que o curso trouxe uma oportunidade de interação com outras jovens do bairro que só conhecia de vista. “Meninas da minha rua até, mas que eu nunca tinha conversado antes”. (Agência Minas)