PCMG prende suspeita de abandonar criança encontrada morta em lixeira

DIVULGAÇÃO/PCMG

Um dia após o encontro de uma recém-nascida dentro de uma lixeira, na região do Barreiro, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu, na manhã desta terça-feira (24/03), uma mulher de 32 anos, apontada como mãe da criança. O crime ocorreu na segunda-feira (23), na Rua Barão de Coromandel, capital.

A suspeita estava em casa, na Avenida Tereza Cristina, em Belo Horizonte, quando foi abordada pelos policiais do Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A mulher foi presa em flagrante pelo crime de homicídio qualificado.

No dia dos fatos, o bebê chegou a ser socorrido e encaminhado para o hospital, mas não resistiu e morreu. Laudo de necropsia irá apontar a causa da morte da criança.

Depoimento

Conforme contou à Polícia, a investigada, que é formada em Recursos Humanos e cursava Contabilidade, havia conseguido um contrato de trabalho em um escritório de contabilidade. Quando descobriu que estava grávida, por já ter um filho de seis anos, decidiu não contar da gestação para ninguém.

No domingo (22/03), a mulher realizava uma festa em casa quando começou a sentir as contrações. Ela então se trancou no banheiro e fez o parto sem ajuda. Após o nascimento da menina, ela colocou a criança em uma caixa de sapato e escondeu no guarda-roupa até que a festa terminasse.

Horas depois, ela pegou a caixa novamente, a fim de desfazer do bebê. No caminho para o estacionamento, ela ainda deixou a criança cair na escada. Quando chegou ao carro, o bebê começou a chorar, momento em que ela tentou estrangular a criança e, em seguida, bateu com a cabeça da menina na lateral do carro. A criança foi deixada, ainda com vida, em uma lata de lixo próxima a um shopping no Barreiro.

As investigações prosseguem para elucidação total dos fatos.