Polícia Civil capacita operadores de drones

A capacitação dos operadores na Acadepol
DIVULGAÇÃO/ PCMG

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) promoveu a 23ª edição do Curso de Operadores de Aeronave Remotamente Pilotada (RPA), popularmente conhecida como drone. Ao todo, dez operadores foram habitados, sendo dois do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), da Presidência da República, e oito policiais civis lotados em Espinosa e em Belo Horizonte.

O curso foi ministrado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol-MG), entre os dias 19 e 21 deste mês. Os participantes aprenderam, em três dias, a teoria e a prática, sendo submetidos a avaliações de legislação e de operação de voo.

Desde o início do projeto, em 2017, 190 operadores foram habilitados pela Polícia Civil. “O curso contribui para que o servidor capacitado passe a operar drones (importante ferramenta para maior eficiência da instituição, segurança dos policiais e robustecimento de prova) nas operações e demais diligências da PCMG”, pontua o coordenador da Coordenação Aerotática (CAT), delegado Felipe Forjaz.

Em relação ao curso, a diretora da Acadepol, delegada-geral Cinara Moreira, ressalta o empenho da PCMG na qualificação dos policiais em tecnologias que auxiliem o trabalho investigativo. “A Polícia Civil, para prestar um bom papel social, precisa que seus servidores sejam capacitados e habilitados constantemente, a fim de que os trabalhos produzidos sejam mais eficazes e adequados aos momentos sociais vividos. Essa realidade requer, então, novas abordagens profissionais, novas competências. Atenta a isso, a Acadepol vem produzindo cursos que possam proporcionar a adequação dos papéis e, ao mesmo tempo, propiciar a valorização do nosso profissional”.

 

Depoimento

 

O agente de segurança presidencial Rodrigo da Costa contou como foi participar do curso. “É uma grande satisfação para o Departamento de Segurança Presidencial poder fazer esse intercâmbio de conhecimentos. O curso de pilotagem de drones da PCMG é capaz de habilitar o profissional de segurança pública que nunca teve contato com a tecnologia a operar drones de forma segura e eficiente. Com os conhecimentos adquiridos no curso, nós da Segurança Presidencial, pretendemos avançar na adoção de novas metodologias de treinamento e de emprego de novas tecnologias. Esse tipo de capacitação também proporciona a oportunidade de troca de conhecimentos nas áreas de legislação e de uso das tecnologias, inclusive proporciona a oportunidade de construção de regulamentos e novos protocolos de utilização de drones por forças de segurança”.