PÓS-TRAGÉDIA | Escolas de Janaúba são vistoriadas pelos bombeiros

Em nenhuma delas foram encontrados extintores e sinalização adequada

Até a tarde dessa quarta-feira (11), o 7º Batalhão de Bombeiros Militar (BBM) já havia vistoriado seis escolas municipais de Janaúba. São elas: Escola Municipal Américo Oliveira, Madre Cândida, Marcolino Barbosa, Professora Carmelia Pires, Professora Herogina Ferraz e CEMEI Neusnaria Mendes.

De acordo com o comandante do batalhão, o tenente-coronel Waldeci Gouveia Rodrigues, em nenhuma das escolas os militares encontraram os meios preventivos exigidos pelo Corpo de Bombeiros. Até esta sexta-feira (13) os bombeiros devem vistoriar outras duas escolas, totalizando oito na primeira semana dos trabalhos.

Segundo Gouveia, os resultados preliminares do trabalho foram apresentados à Prefeitura da cidade. “Nesse período [até sexta-feira] a Prefeitura já está providenciando os meios preventivos mínimos, que é a sinalização e os extintores”, explicou.

Na próxima segunda-feira (16), mais três equipes dos bombeiros devem ser enviadas a Janaúba para acelerar o processo de vistorias e também potencializar as orientações, segundo o comandante, “para que as escolas, em um prazo mínimo, possam estar funcionando com segurança para os alunos”. O objetivo, conforme Gouveia, é que até o próximo dia 20 todas as escolas municipais de Janaúba sejam vistoriadas e os relatórios sejam enviados às autoridades competentes.

“Estamos em uma fase que chamamos de reabilitação e recuperação. Todo esse procedimento que o Corpo de Bombeiros está participando faz parte dessa fase. Já passamos da fase do socorro. As vítimas já estão nos hospitais de referência e agora vamos participar, junto com a Prefeitura, dessa reconstrução para que possamos reerguer a cidade”, garantiu Gouveia.

VÍTIMAS | A tragédia, registrada na quinta-feira (5), fez, pelo menos, 57 vítimas. Entre elas 11 fatais: nove crianças e a professora da creche Gente Inocente, além do responsável pelo incêndio criminoso, de 50 anos, que incendiou as crianças, pôs fogo no próprio corpo e morreu poucas horas após o crime. Até essa quarta-feira pelo menos 22 vítimas seguiam internada em hospitais de Janaúba, Montes Claros e Belo Horizonte.