Programa dobra número de presos trabalhando em Minas

Trabalho e educação. Esses são os pilares do reINTEGRA, programa pioneiro e inovador do Governo de Minas Gerais. O projeto completou um ano na sexta-feira (13/4), com um seminário para abordar as boas práticas e os resultados desse período.

Na última semana, 74 novos detentos começaram as atividades na Cidade Administrativa. Eles atuam como prestadores de serviço na administração pública estadual. A iniciativa é uma parceria da Secretaria de Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) e a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag).

O secretário-adjunto da Seap, Marcelo Gonçalves da Costa, esteve presente no evento e lembrou que o programa dá certo porque é a união de muitos.

“Temos vários agradecimentos a fazer por esse sucesso do reINTEGRA, mas queria deixar um registro especial à equipe da Seap que está a frente do programa. Esse projeto tem um pedaço deles, tem compromisso de gente séria, que trabalha e é envolvida. Minas Gerais tem orgulho desses servidores. O programa vence preconceitos porque faz essas pessoas acreditarem no impossível. Agradeço também ao governador que deixou esse projeto inovador ser realizado no nosso Estado”, disse.

Até o momento, a iniciativa já empregou 137 presas e presos do regime semiaberto, que possuem benefício de trabalho externo. Inicialmente, 56 presos foram admitidos, mas a expectativa é que o programa alcance o número de 200 presos frequentes nos próximos meses. Considerando a Lei de Execução Penal (Lep), o programa também objetiva a humanização por meio do trabalho, como fator para a reintegração social, aliando também a educação e o fortalecimento dos vínculos familiares. (Agência Minas)