Tentativa de assalto termina com suspeito baleado, em Montes Claros

Um suspeito, de 26 anos, foi baleado duas vezes depois de tentar roubar um policial militar de folga, no bairro Cidade Santa Maria, em Montes Claros, na noite de domingo (12). Segundo a PM, o suspeito estava em uma motocicleta e logo após a ação o condutor, seu comparsa, conseguiu fugir correndo. Uma equipe do Corpo de Bombeiros socorreu o suspeito, que foi levado para um hospital. Ainda segundo a PM, o segundo suspeito já foi identificado. A dupla é suspeita por praticar um assalto minutos antes de tentar roubar o policial de folga. Com o suspeito baleado policiais militares que atenderam a ocorrência apreenderam um simulacro de arma de fogo e os capacetes usados na tentativa de assalto.

 

Homem é preso com crack e maconha, em Várzea da Palma

 

Um suspeito, de 18 anos, foi capturado em flagrante por tráfico de drogas, no final de semana, em Várzea da Palma. Segundo o 55º Batalhão da PM, depois de receberem uma denúncia anônima, policiais realizaram buscas em um imóvel do bairro Nova Esperança, onde foi encontrado o suspeito. No local foram apreendidas 150 pedras de crack, uma porção maior também de crack, uma barra de maconha, dois aparelhos de telefone celular sem procedência, munições e uma faca.

 

Projeto que restringe saída temporária de presos é aprovado

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, na última semana, o Projeto de Lei 3468/12 que muda regras de saída temporária de presos em regime semiaberto, conhecida como ‘saidão’. A matéria foi enviada ao Senado. Esse tipo de saída ocorre em dias festivos como Natal e Dia das Mães, com o objetivo de contribuir para a ressocialização dos presos. Os críticos da medida, no entanto, argumentam que os condenados aproveitam a saída para cometer novos crimes.

Para o juiz conceder o benefício dependerá de parecer favorável da administração penitenciária e, se o preso for reincidente, terá de ter cumprido metade da pena, em vez de ¼ como é hoje. Para os condenados a crimes hediondos, prática de tortura, tráfico de drogas e terrorismo, o cumprimento mínimo de pena aumenta para poder concorrer ao ‘saidão’. Se for réu primário, terá de cumprir 2/5 da pena e, se reincidente, 3/5.

O tempo total é reduzido de sete para quatro dias e a quantidade de vezes que a saída temporária poderá ser renovada no ano passa de quatro para apenas uma vez. Outra novidade no relatório de Almeida é que o juiz deverá determinar o uso de equipamento de monitoração (tornozeleira eletrônica), se disponível; e comunicar aos órgãos de segurança pública quais presos contarão com o benefício.

O texto também introduz novos agravantes no Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40). O agravante aumenta a pena inicial que o juiz poderia estipular para um determinado crime. Um deles é para o caso de crime cometido pelo preso no período em que foi beneficiado pela saída temporária. Os outros casos são para crime cometido enquanto a pessoa está no presídio ou para crime cometido em concorrência com pessoa já presa. (Agência Câmara Notícias)