Saúde tem de ser no Posto do Bairro Maracanã

Uma das coisas que mais deixa indignados os moradores é a situação da saúde, pois, como o bairro ainda não tem essa unidade, a população tem de andar quase três quilômetros até a Praça Beato Kool, do Maracanã. Lúcia de Fátima se queixa desse absurdo. Ela cita que o mais grave é que o posto de saúde do bairro Santa Rafaela, que fica nas imediações, se recusa a atender a população do bairro Alterosa, sob a alegação de jurisdição. Na sua visão, o SUS é universal e a população tem de ser atendida onde for melhor. A Secretaria Municipal de Saúde tranquilizou os moradores, informando que, dentro de pouco tempo, será inaugurada a Unidade Básica de Saúde, na rua do Atlético. A obra está 98% dos serviços prontos, dependendo apenas da colocação de grama e do portão. Outro problema apontado no bairro é a falta de área de lazer. As lideranças comunitárias até pensarem em pedir que a Igreja Católica doasse uma área de 10 mil metros quadrados que possui, para que fosse construída uma quadra poliesportiva. O bairro conta com o Salão Comunitário construído pelo Rotary Clube Montes Claros Sul em parceria com o Banco do Brasil e Prefeitura, mas esbarra no abandono do local. Os dirigentes pediram a coordenadora do CRAS Maracanã, Claudia Gislene Rocha, que faça campanha para recuperar o local e instale oficinas profissionais no local. Nessa semana será realizada reunião com os rotarianos para discutir essa iniciativa. A grande quantidade de ruas sem luz é outro problema. Por isso, o pedido de reunião com a Prefeitura para resolver essa situação. O secretário municipal Guilherme Guimarães quer se reunir com os moradores para depois levar o caso ao prefeito Humberto Souto. Ele explica que o primeiro ano foi de ajustes, mas agora será possível atender as demandas da população. (GA)